debyloide

Ela não está apaixonada. Ela é de leão com ascendente em Áries. Ouve Caetano Veloso, Nando reis, Beatles e Pink Floyd. Já foi ao cinema sozinha. Tem vontade de pintar o cabelo de roxo, verde ou azul. Bebe cerveja em casa com o pai de vez em quando.

Ela não está apaixonada. Ela confidencia-se apenas para os seus livros. Não deseja moeda de troca. Escreve cartas em segredo e fica imaginando destinatários. Assiste de Fellini a Tarantino e gosta de discutir Frida Kahlo.

Ela não está apaixonada. Ela sorri das vãs tentativas de quem se entrega somente a uma pessoa. Descortina caprichos e vontades que teimem em ultrapassar seus limites. Diz, com um sorriso debochado, que aprendeu a domar os homens. Controla suas emoções como que por controle remoto. Impõe restrições a si mesma, por mais que não saiba explicá-las.

Ela não está apaixonada. Ela recebe ligações na sexta-feira à noite mas não atende todas. Marca um encontro com aquele rapaz de sempre. Vão àquele bar perto da faculdade onde a cerveja é barata e tem música ao vivo. Pedem os mesmos drinques. Sorri das piadas dele. Conta sobre sua vontade de crescer na empresa e conquistar independência financeira. Passa a noite com ele e chega em casa de manhã. Diz aos pais que dormiu na casa da melhor amiga.

Ela não está apaixonada. Ela acorda e olha o celular à espera de alguma mensagem. Recorda da última noite e se sente bem. Marca um chope com as amigas no fim da tarde pra pôr o papo em dia. Gargalha das histórias das amigas. Descreve detalhes da noite passada. Em casa, tranca-se o quarto e fica deitada na cama olhando para o nada. Sorri. Sorri meio sem entender o motivo. Sorri, talvez, teimando em não entender.

Ela não está apaixonada. Ela carrega consigo as feridas de um passado que insistem em não cicatrizar. Traz na bagagem o medo e a incerteza de se entregar a alguém por toda uma vida. Acha ilusão acreditar que nesse mundo exista alguém à sua espera. Chora em casamentos. Suspira quando lê Clarice Lispector. É tão fortaleza quanto brisa. É tão mulher quando quer ser. É tão menina quando não consegue se esconder.

Ela nunca deixou de estar apaixonada.

Brunno Leal (via debyloide)